segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Borboletas no estômago

Vejo você,
minhas pernas tremem,
Caminha em minha direção,
minhas mãos começam a suar,
Você para diante de mim,
meu coração dispara,
Me abraça,
sinto um revirar no estômago,
Me olha,
FUJO,
mas preciso que me encontre,
EU QUERO EU NÃO POSSO.
Dobro a esquina,
te evito,
Dou-lhe as costas,
com uma puta vontade de voltar,
Vou embora sem dizer adeus,
FIQUE LONGE,
eu te amo!