sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Claridade que afoga.

Você não percebeu, é falta de amor, onde esta a porra do seu amor cortante? As luzes acendem e apagam sem cessar, mas cadê o interruptor? Eu sei que você o engoliu, achou que era açúcar e botou no seu café, agora toda vez que você arrota a claridade vai embora, prefiro assim. Você pode me tocar, tudo o que você precisa é coragem para fazê-lo, não vá embora sem me abraçar mais uma vez, O monstro interior é tão irônico assim? Se me der uma faca eu o arranco de você, se é que ele n se mudou pros meus rins, dói. Tão perto e eu não pude fazer nada, nem reparei quando ela me perguntou das alfaces, estava pensando em nadar naquele rio, é, outra vez, isso voltou.