domingo, 3 de outubro de 2010

A QUEDA


Estou caindo, e a luz forte machuca meus olhos, eu sangro um liquido quente, é da cor do arco-íris que batia e fodia com os nossos tímpanos. Corra o mais rápido que puder Lucia, vamos, nos podemos fugir desse lugar que há muito tempo nos assombra vomitando o vento cortante que vem sem cansar. Eu Cai numa poça de lama cor-de-rosa, e você riu com os dentes coloridos feito balas de goma. O Céu girava e os pequenos porcos-girafa rugiam mais alto que o trovão, isso se chama chuva, me disse com pavor, não pode ser mais que isso. Acho que o magma é fria como ele.