sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Acorde de sua utopia tétrica e se entupa de Anticolinérgico.



 Devaneios rasgando-me lentamente como facas, cortam as coxas em passo trôpego, penetram na pele como agulhas, e toda cordialidade fustiga feito urtiga.
 Você acorda de um sonho e vê toda futilidade vomitada em suas roupas, sua cabeça lateja e você quer chorar um balde pra se afogar.
E é tão ridículo quanto triste.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Santa

 Eu sou uma freira parada na esquina, esperando alguém que pague 100 reais por uma punheta. Eu passo a noite rodando a bolsa antes de voltar pro convento.
 ‘A ultima vez que me ajoelhei, não foi exatamente pra rezar.’ Finjo-me de santa por que não dei certo como puta.
 Não passo de uma vadia estúpida e semi-virgem.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Ultima parada.


 Eu sou uma puta contradição, com tendência a suicídio espiritual.
 Você uma piada de mau gosto! E está condenado a ser podre e cruel.
 Pode parecer fascinante mas acredite enjoa depois de um tempo.
 Foi meio sem querer mas acabei  me matando depois que você me esfaqueou!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Ironia e Cadáveres



Todos nos estamos mortos, só que não nos contaram. Todo proletariado zumbi comendo o que é cuspido. Ficaremos terrivelmente putos quando descobrirmos.