domingo, 27 de março de 2011

anti-graça

Dentro de você, há uma puta deformidade, pode parecer adorável a olhos leigos, mas nos sabemos o quanto é asqueroso. Mesmo assim não sente repulsa ao olhar no espelho, por que acha tão banal que chega a ser ridiculo.

Certa do jeito incerto

Vomite em mim tudo o que lhe mantém.Goza em mim todo o meu fracasso. Cospe em meu rosto mais um pouco de ilusão.Meu estomago mastiga e revira duvidas, estou cagando devaneios, fragmentada pela insegurança. Há uma puta confusão em meus pulmões, mas me sinto oca e isso me tornou vil.

sexta-feira, 25 de março de 2011

desgasto-me atoa

 É proposital. Eu adoro me iludir, no fundo eu sei que não há nem uma faisca de esperança. Vejo em minhas utopias como poderia ser. Pedra moida faz meu coração bater. 

quinta-feira, 3 de março de 2011

café instantâneo não me mantém acordada

 Quem decide o que é certo e errado?
Não me parece bonito o que lhe agrada, e o mau cheiro piora durante a noite. Mesmo que o ralo do banheiro não esteja entupido.
  Tenho uma novidade pra você, eu gosto de refrigerante de cola e gosto de cocaina. E tudo que tenha gás me lembra o gosto da acetona.
  Não acredito nas suas memorias raspadas, fundamentalismo arrotado me parece blasfemia.